logo_pq

AMARO FREITAS TRIO

AMARO FREITAS TRIO

AMARO FREITAS TRIO

06/11 - Teatro Castro Alves

A cultura de Pernambuco transborda naturalmente no estilo de Amaro Freitas, pianista e compositor que é uma das grandes revelações do jazz brasileiro recente e que vem pela primeira vez à Bahia. Influenciado pelo mestre do frevo Capiba, por Moacir Santos, Hermeto e Gismonti, mas também pelas grandes referências do piano jazz, como Monk, Jarrett ou Corea, lançou o seu disco de estreia, “Sangue Negro”, em 2016, e o mais recente, “Rasif”, em 2018. Para além do sempre predominante samba jazz, Amaro volta-se para a cultura nordestina e traduz frevo, baião, maracatu, ciranda e maxixe para a linguagem do jazz. Acompanhado de Jean Elton (baixo acústico) e Hugo Medeiros (bateria), o trio convida a desbravar novas rotas e experimentar a capacidade percussiva do piano, em complexos padrões matemáticos, ritmos imprevisíveis e hipnóticos.

Contratado pelo selo londrino Far Out, o pianista já se apresentou em importantes clubes de jazz e festivais, dentre eles: Buenos Aires Jazz Festival (Argentina) , Festival Conexiones (Barcelona), Rio das Ostras Jazz e Blues (RJ), Bari in Jazz e Grado Jazz ( Itália), Unterfahrt Jazz Club (Munique), Casa da Música (Porto) e na respeitada Ronnie Scott’s em Londres. Além disso, conquistou a crítica internacional em importantes mídias especializadas, como: Jazzwise, All About Jazz, BBC Rádio e na mais prestigiada revista de jazz do mundo: Downbeat.

Leia entrevista exclusiva de Amaro Freitas para o Radioca

06/11 - Teatro Castro Alves

A cultura de Pernambuco transborda naturalmente no estilo de Amaro Freitas, pianista e compositor que é uma das grandes revelações do jazz brasileiro recente e que vem pela primeira vez à Bahia. Influenciado pelo mestre do frevo Capiba, por Moacir Santos, Hermeto e Gismonti, mas também pelas grandes referências do piano jazz, como Monk, Jarrett ou Corea, lançou o seu disco de estreia, “Sangue Negro”, em 2016, e o mais recente, “Rasif”, em 2018. Para além do sempre predominante samba jazz, Amaro volta-se para a cultura nordestina e traduz frevo, baião, maracatu, ciranda e maxixe para a linguagem do jazz. Acompanhado de Jean Elton (baixo acústico) e Hugo Medeiros (bateria), o trio convida a desbravar novas rotas e experimentar a capacidade percussiva do piano, em complexos padrões matemáticos, ritmos imprevisíveis e hipnóticos.

Contratado pelo selo londrino Far Out, o pianista já se apresentou em importantes clubes de jazz e festivais, dentre eles: Buenos Aires Jazz Festival (Argentina) , Festival Conexiones (Barcelona), Rio das Ostras Jazz e Blues (RJ), Bari in Jazz e Grado Jazz ( Itália), Unterfahrt Jazz Club (Munique), Casa da Música (Porto) e na respeitada Ronnie Scott’s em Londres. Além disso, conquistou a crítica internacional em importantes mídias especializadas, como: Jazzwise, All About Jazz, BBC Rádio e na mais prestigiada revista de jazz do mundo: Downbeat.

Leia entrevista exclusiva de Amaro Freitas para o Radioca

06/11 - Teatro Castro Alves

A cultura de Pernambuco transborda naturalmente no estilo de Amaro Freitas, pianista e compositor que é uma das grandes revelações do jazz brasileiro recente e que vem pela primeira vez à Bahia. Influenciado pelo mestre do frevo Capiba, por Moacir Santos, Hermeto e Gismonti, mas também pelas grandes referências do piano jazz, como Monk, Jarrett ou Corea, lançou o seu disco de estreia, “Sangue Negro”, em 2016, e o mais recente, “Rasif”, em 2018. Para além do sempre predominante samba jazz, Amaro volta-se para a cultura nordestina e traduz frevo, baião, maracatu, ciranda e maxixe para a linguagem do jazz. Acompanhado de Jean Elton (baixo acústico) e Hugo Medeiros (bateria), o trio convida a desbravar novas rotas e experimentar a capacidade percussiva do piano, em complexos padrões matemáticos, ritmos imprevisíveis e hipnóticos.

Contratado pelo selo londrino Far Out, o pianista já se apresentou em importantes clubes de jazz e festivais, dentre eles: Buenos Aires Jazz Festival (Argentina) , Festival Conexiones (Barcelona), Rio das Ostras Jazz e Blues (RJ), Bari in Jazz e Grado Jazz ( Itália), Unterfahrt Jazz Club (Munique), Casa da Música (Porto) e na respeitada Ronnie Scott’s em Londres. Além disso, conquistou a crítica internacional em importantes mídias especializadas, como: Jazzwise, All About Jazz, BBC Rádio e na mais prestigiada revista de jazz do mundo: Downbeat.

Leia entrevista exclusiva de Amaro Freitas para o Radioca

Discografia
2018 - Rasif
2016 - Sangue Negro ‎

Premiações
– Prêmio MIMO Instrumental (2016)

Discografia
2018 - Rasif
2016 - Sangue Negro ‎

Premiações
– Prêmio MIMO Instrumental (2016)

Discografia
2018 - Rasif
2016 - Sangue Negro ‎

Premiações
– Prêmio MIMO Instrumental (2016)

2015
Project type
2016
Project type
2017
Project type
2018
Project type
logo_pq

CONTATO
radioca@radioca.com.br

O
O
O
O
O

SOBRE
PROGRAMAS
ENTREVISTAS
DROPS
CONTATO

SOBRE
PROGRAMAS
ENTREVISTAS
DROPS
CONTATO

COMPRE SEU INGRESSO